Quando tudo está bem

Ah, eu adoro aqueles dias onde, quando nada de especial está acontecendo, e me ocorre subitamente uma estranha vontade de dançar e cantar. E essa vontade não passa até que eu tenha feito isso, e quando faço, é como se não existisse mais nada, como se os olhares dos outros sobre mim fossem meros detalhes.
E eles são, de fato, apenas isso, mas apenas nesses momentos essa verdade me atinge, e são nesses momentos onde sinto vontade de correr, andar e pular por aí, cantando qualquer música que estiver tocando, não ligando se minha voz está horrível.

Mas é até estranho que, nesses momentos de felicidade, até minha voz pareça mais melodiosa, mais bonita do que normal, e eu fico mais feliz ainda.

Claro que os outros acham que enlouqueci de vez nesses momentos, mas eu apenas rio deles. É engraçado como a felicidade alheia afeta outras pessoas.

Mas então, a vontade de saltar por ai passa, mas o sentimento prevalece por um tempo, ás vezes até o final do dia, e eu simplesmente me sinto ótima.

Então, o outro dia chega.

De manhã, nada de novo, mas eu ainda rio boba ao lembrar do dia anterior, de como cantarolei e dancei toda feliz e alegre, e isso me faz rir, e eu me sinto bem.

Infelizmente, esses momentos de alegria vêm com uma consequência, ou talvez seja tudo apenas uma enorme coincidência.

É que, muitas vezes, no dia seguinte a esse momento, repentinamente, eu me sinto mal. Como se, repentinamente, meus medos mais profundos viessem a minha mente, me trazendo preocupações desnecessárias e problemas que não existem.

E eu sei que devo tentar manter a calma, que devo lembrar que está tudo bem, que nada ruim está acontecendo.

No entanto, a sensação boa em meu peito some nessas horas, então lembrar se torna difícil, enquanto a dor e o pânico não revelado se tornam mais reais.

Então, eu colapso em silêncio, sentindo o coração pesado e os olhos molhados, e tudo parece horrível naquele momento, e eu só quero ficar deitada e encolhida no meu canto o dia inteiro.

Mas eu não faço isso.

Deixo algumas lágrimas descerem, ás vezes nem isso, e simplesmente faço o que devo, e os pensamentos me voltam na hora de dormir, e aí sim eu choro mesmo.

E tudo isso depois de um dia onde tudo está bem.

Por: Sabrina Soares.

Share Button

6 Comentários

  1. E isso também é imporante, querida 😛 sempre lhes dão forma!

    Opaaa, tu escreves tão bem e eu revejo-me sempre nos teus textos!
    Quando os compilas e fazes um livro?

    1. Pois é!

      Este texto por acaso não foi meu. Foi escrito por uma leitora. Já os meus textos, até que gostava de formar um livro com eles 😍.

  2. SabrinaGSoares says: Responder

    E mais um dos meus textos se torna um desabafo! Mas ainda gosto dele, embora ele seja um tanto pessoal…
    Mais uma vez, obrigada por postar, isso me faz bastante feliz <3

    1. Oh… Não tens que agradecer! ☺️

  3. TheHappiness35 says: Responder

    (Andei bem sumida daqui, peço-te desculpas por isso.)
    Eu costumo dizer que ” felicidade demais se é anuncio do choro ” e vice-versa. :/
    Este texto retrata o próprio ” mundo particular ” de cada um de nós, apesar de que outros passem por situações parecidas; elas NUNCA haverão de ser iguais. :/
    Belo texto, apesar de triste desta leitora, ela arrasou com as palavras. Fico feliz por ter levado esta ideia para ” frente “. 😉
    Beijinhos.

    1. Não faz mal vens quando puderes. É mesmo!

Deixe uma resposta