Ir ou ficar?

A cor rosa arroxeada já pairava no céu, e ela pensava se deveria ir embora, ou se deveria ficar. Se ficasse, estaria dando mais uma nova oportunidade ao homem que amava e que errava 8 vezes numa semana. Se fosse embora, estaria anulando tudo aquilo que um dia, ambos construíram juntos.

Custava-lhe ficar. Simplesmente porque sentia que merecia mais reconhecimento, mais carinho, mais atenção. Todavia, custava-lhe muito mais ir, para onde ainda não tinha lugar, para a rua onde todos a olhavam de lado, onde ela sabia que mais ninguém a esperaria em casa. Ela sabia, que se saísse pela porta estreita do apartamento pequeno, que nunca mais teria um ombro meigo onde dormir, nunca mais ia ter uma cama preenchida, não seria amada, não teria justificação para voltar para casa, nem quem amar.

Custava-lhe ficar, mas ela morreria se o deixasse. E olhando aqueles olhos verdes, que em tempos foram tão meigos com ela, ela sentia que estava em dívida para com o dono dos olhos esverdeados. Ele a havia dado vida. A tinha salvado de seus demónios, que a consumiam todos os dias mais um pouco, a tinha amado como nunca antes alguém a amou e ele sempre estava à sua espera no final de cada dia.

E por mais magoada que estivesse depois de mais uma discussão naquela semana, o seu coração era dele. Ela se sentia preenchida, amada e desejada. Já não sentia um vazio no seu peito, ou uma pedra invés de coração. Sentia calor, amor, carinho e isso a havia tornado em alguém melhor do que alguma vez foi.

Seria apenas isso que a fazia ficar? Será que ela ia ficar? Iria o dono dos olhos meigos pedir desculpa mais e mais uma vez? No final do dia, depois de tanto pensar em ir embora ou ficar, se deitava do lado do corpo semi-nu, abraçava-o e todos os sentimentos de revolta, raiva e dúvida, saíam do seu corpo e da sua alma.

E ela ficava onde sempre pertenceu. Onde sempre era amada e respeitada. Onde sempre teve lugar para erros, para defeitos, para discussões, onde se sentia bem consigo mesma, onde não havia demónios a circunda-la. E todos os dias, este ciclo se repetia. Contudo, nunca se arrependeu da escolha que havia tomado. Ela estava onde sempre quis estar.

Share Button

6 Comentários

  1. Obrigado, anja!

    Opaaa, que lindo :’) Ficar, no geral, é sempre tão mais fácil… Para quem, pelo menos, não é ávido nem tem destreza para a mudança!

    1. De nada 🙃

      É mesmo! Ficar é bem mais fácil do que ir e mudar completamente a nossa rotina e a forma como vivemos.

  2. Obrigado, sua linda 😀 Ohn, se queres mesmo isso nunca baixes os braços. Nunca mesmo 😀

    1. Pois é! Obrigada! ❤️

  3. SabrinaGSoares says: Responder

    Ir ou ficar… escolha complicada, que deve ser feita com muito cuidado e reflexão…
    Amei o texto, Carol <3

    1. Mesmo!! Que bom que gostaste! Fico muito feliz! ❤️

Deixe uma resposta